preciso falar sobre os concretos

Quem acompanha a Simplee no Instagram com certeza já percebeu que deixei de produzir objetos de concreto e aqui no site isso já está mais explícito mas faz tempo que gostaria de escrever sobre aqui no blog. 

 vasos cubos

vasos cubos

A Simplee começou dos objetos de concreto, que nasceram depois de uma longa gestação de quase 2 anos. Quando penso no tempo que demorei para de fato fazer o que eu queria, fico um pouco pasma. E os motivos da demora são sempre os mesmos: ainda não está bom, precisa aprimorar, não tenho materiais, não tenho espaço, precisa melhorar, não é a hora certa, etc.

Fora isso, teve ainda todas as motivações para se fazer que não foram lá as melhores. Em 2014, eu tinha acabado de encerrar uma sociedade de uma marca de acessórios em madeira (tinha muita dificuldade em falar sobre isso mas hoje em dia tenho orgulho de tudo que consegui construir naqueles anos e se alguém quiser ver, está aqui) e eu queria a todo custo, estar bem, fazer algo meu e ser reconhecida por isso.

Cada um sabe das suas motivações para se fazer algo e eu sei que as minhas não eram as melhores naquele 2014, 2015 (que anos!). Quando a Simplee nasceu, estava também em um momento bastante conturbado da minha vida mas era isso que eu tinha em mãos, eu tinha tempo, tinha possibilidades e vontade de mudar, de andar pra frente, de me conhecer e de crescer com as experiências.

E acho que isso muda bastante as coisas, esse foco estar mais em você e em querer melhorar como pessoa e não só nas coisas que você faz (li sobre isso esses dias e só agora fez mais sentido!). Relembrar essas circunstâncias, me faz pensar que o começo da Simplee foi muito feliz apesar de tudo que estava acontecendo. 

 estréia da simplee na fêra féra, 2016. sorrio por dentro ao olhar essa mesinha. 

estréia da simplee na fêra féra, 2016. sorrio por dentro ao olhar essa mesinha. 

De 2014, quando ainda morava em Florianópolis até sair de fato os concretos, no comecinho de 2016, obviamente já tinha 95789793 pessoas fazendo objetos de concreto e os objetos da Simplee, apesar de muito caprichados e bem acabados, não eram nenhuma novidade. Comecei a caprichar ainda mais, refiz os moldes, coloquei acabamento de couro nos vasos, adicionei cores, fiz acessórios lindos e os quais ainda adoro e as pessoas gostaram bastante também. 

 produção de acessórios simplee, 2017

produção de acessórios simplee, 2017

O lance é que quando eu sinto que algo se esgota, eu preciso de um tempo. Não me vem nenhuma ideia de como trabalhar com o concreto de maneira diferente e quando se trata de trabalhos manuais a ideia de repetir a mesma fórmula por muito tempo não me atrai, então acho que por enquanto posso dizer que não faço mais objetos de concreto.

Pode ser que eu volte a fazer alguma coisa de concreto num futuro próximo, mas no momento presente, estou muito feliz fazendo as minhas cestas e com a motivação de ser algo meu e que eu faço porque é gostoso de fazer. É devagar, é leve e é bom. Já pensei e penso em como transformar as cordas e lãs em acessórios e eu gosto disso, de estar fazendo algo que me faça pensar em possibilidades. 

 cestos de barbante simplee, novembro de 2017.

cestos de barbante simplee, novembro de 2017.

E é isso. Quando eu quis fazer uma nova identidade visual para a Simplee, no começo deste ano, eu queria abraçar justamente essa postura aberta diante das possibilidades, a experimentação e acho que a Simplee me ensinou essa condição. Mesmo trabalhando, mesmo com a Piscina, é aqui onde eu solto meu 'eu' artesão, experimental, e caseiro, meu eu mais presente.  E estou bem aqui. :)