arranjo de natal

natal_tropical_simplee.jpg

Algo que fazemos aqui em casa todo Natal é pensar a decoração da mesa no mesmo dia da ceia. Nunca temos nada planejado mas ainda assim, eu e a minha mãe sempre acabamos pensando em algo. 

Não me lembro de pensar nisso quando criança, mas acho que de uns 10 anos pra cá, eu comecei a me preocupar mais com isso. É uma preocupação do tipo boa, daquelas que gostamos de ter. 

E uma mesinha arrumada dá gosto de ver, né? Não precisa ser nada muito grandioso e no caso aqui de casa sempre foi tudo muito simples. Nem todo mundo repara, a maioria não dá bola, bagunça tudo em quinze minutos mas eu gosto mesmo assim. 

Teve ano que a gente comprou uns enfeites prontos e não muito duráveis, com pinhas douradas e castiçais feios, teve ano que eram só velinhas, depois veio o advento do Pinterest, onde eu olhava uns arranjinhos com vidros, aquela coisa toda bem pouco brasileira que eu adaptava com o que eu tinha em mãos. E tiveram variações: vidro com pedra, vidro com vela, vidro com mato e água, vidro com frutinhas e deve ter tido mais coisa que eu não lembro. 

De uns tempos pra cá peguei um bode gigante do Pinterest e ano passado a gente nem estava em casa e lembro de ter tentado improvisar algo com alguns galhos que achei em volta da casa onde estávamos. 

natal_tropical_simplee2.jpg

Mas enfim, este ano fui atrás de presente de última hora e precisava comprar uma toalha ou um tecido que cobrisse a mesa grande que fica lá fora, onde recebemos sempre as pessoas nessas ocasiões.

Nenhuma loja de tecidos aberta e conhecendo a família que eu tenho, optei por levar essa toalha de material plástico bege com detalhes meio perolados e foi a melhor escolha. Caiu vinho, caiu refrigerante, cerveja, comida e ela continuou linda, perfeita para a maratona de festas, churrascos e encontros que se seguem a partir do Natal. 

Atordoada com o sol quente, fiquei perambulando meio sem rumo pelo Centro (aqui de São José dos Campos) e entrei no Mercado Municipal, onde comprei essa cestinha que há tempos namoro. Não sabia se usaria, mas resolvi levar mesmo assim. 

Chegando em casa minha mãe já tinha feito alguns arranjos de frutas e nozes em pratos e eu, ela e meu irmão saímos para pegar mais coisas pois segundo ela, "faltava um verdinho". Essa é uma coisa que a gente faz bastante, andamos pelo condomínio e ficamos catando as frutas da época nas árvores que tem por aqui.

Agora pelo visto é época de carambola. Acerola vejo em outras épocas e agora também tinha bastante. E o nosso arranjo foi esse: carambola, frutas e galhos de acerola, só. E eu gostei tanto dele!

Acho que os arranjos de mesa daqui de casa são como tudo o que a gente faz na vida. Quando a gente não quer ser ninguém além da gente mesmo, quando não temos a pretensão de parecer com nada nem com ninguém e só faz o possível com o que tem ao nosso alcance, não tem erro: o resultado não pode ser nada além de algo único e especial. 

(e eu não sei como escrevi tanto a partir de um arranjo de mesa haha mas só foi.)