modos de produzir

Mais uma cestinha! E essa embora seja pequena, demorou muito mais tempo para ficar pronta. Confesso que depois de correr bastante, como foi o caso da semana da participação na feira, fico em um estado um pouco passivo, quase catatônico. Principalmente se os freelas momentaneamente dão uma folga, como foi o caso, eu fico um pouco perdida. Fui ver o mar, fiquei mais de 1 semana praticamente sem produzir nada e daí começa a inquietação.

Qual passo dar agora? O que fazer para impulsionar as coisas e seguir adiante? Essas são as típicas perguntas sem resposta que me deixam um pouco aflita. Percebi que eu sou péssima em me desligar das coisas e péssima em ter mais tempo livre para fazê-las. Eu preciso estar sempre em movimento, com foco em outras coisas para me motivar e fazer o que de fato gosto. E talvez isso não seja necessariamente um defeito, só que eu preciso aprender a me disciplinar um pouco para conseguir produzir de maneira mais constante.

Enfim, consegui terminar a cesta nesse feriado prolongado e fui fazendo ela daquele jeito bom, devagar e sempre, papeando com alguém ou vendo alguma série (que no caso agora é Cosmos). 

01.jpg

E é uma delícia acordar no domingo ou sábado de manhã e tomar um café da manhã demorado, ficar na mesa conversando e encher a xícara de café mais algumas vezes e depois aproveitar a luz do dia e fotografar as coisas ali perto da janela. Hoje no caso, um dia cinza, maravilhoso para fazer isso que acabei de descrever. 

Gosto que o que eu produza faça parte e se confunda com a minha vida, gosto de tratar as coisas assim. Adoro fotografar o que eu faço sem demorar ou levar tanto a sério tudo e gosto do dinamismo desse processo. Parece que se eu demorar mais, arrumar mais e me preocupar mais, as coisas perdem um pouco da sinceridade inerente a elas e talvez eu não me sinta tão autêntica se fizer de outro jeito. Sei que poderia melhorar muito ainda nesse quesito de fotografar e tratar imagens, mas o lance é que hoje fico feliz de registrar as coisas desse modo.

E fico feliz em experimentar. Gostei muito do formato dessa cesta e preciso sem dúvida, começar a experimentar mais, seja com novas cores e padrões, seja com novos tamanhos e formatos. Quase que sem querer ainda estou seguindo, em boa parte do que eu tenho produzido, o desafio que me coloquei de usar coisas que tenho à mão, como é o caso dos barbantes coloridos. Mas até eles que pareciam infinitos, já estão dando sinais de que não durarão pra sempre, o que é ótimo. Então bora dar novos usos pra eles e para as lãs lindas que ainda tenho aqui.