cestos na decoração

Quando comecei a fazer cestos, me apaixonei pela facilidade, pela autonomia e pela liberdade de produzir como e quando eu quisesse. Fiquei viciada e fui fazendo e descobrindo por mim mesma os melhores jeitos de produzir.

Mas como sempre, em um dado momento, me questionei sobre a utilidade dos cestos e do porquê colocar mais um objeto no mundo. E bom, sobre o porquê de produzir, é porque eu gosto e tenho tentado fazer isso reutilizando materiais, me propondo a comprar o mínimo possível e produzindo no meu próprio tempo.

Ao me questionar se os cestos seriam realmente úteis na vida das pessoas, eu tentei pensar que sim, mas embora eu tivesse alguns cestos na minha casa, não via eles como objetos utilitários de fato, mas mais como algo que você em algum momento ganha ou compra e aquilo vai se tornando um receptáculo de coisinhas que ninguém sabe onde colocar. Mudei de ideia quando fomos visitar nossos amigos em Florianópolis, uma viagem que já quase virou uma tradição de final de ano.

A casa da Iana e o Dudu é uma das mais queridas e aconchegantes que conheço e é incrível como eles conseguiram criar um espaço que reflete tão bem quem eles são. A casa é de uma simplicidade acolhedora e ao mesmo tempo cheia de detalhes e toques pessoais. Parece que nada ali é gratuito ou sem propósito e é desta maneira que os cestos são incorporados à decoração da casa.

Embora já familiarizada com o espaço, nunca tinha realmente prestado muita atenção nos cestos que provavelmente, sempre estiveram ali. Mas depois de começar a produzi-los, meu olhar irremediavelmente se voltou para eles e aqui estão alguns dos exemplares que fotografei pensando justamente em escrever esse post aqui no blog (mais de 8 meses depois!).