produzir

Produzir. Acho que hoje a gente vive num tempo meio louco, em que precisa estar produzindo e mostrando isso pro mundo o tempo todo, pra validar o que estamos fazendo. 

Me vejo angustiada porque eu “não fiz nada”, “não postei nada”, mas será que é isso mesmo? Sei que não, mas cá estou postando uma foto que tirei há mais de um mês atrás (bem mais) das minhas peças de concreto para me sentir menos improdutiva e negligente com o meu trabalho e as coisas que faço.

Ontem li um texto (na verdade um discurso de formatura - obrigada Naly por mais um texto tão bom!) e que caiu como uma luva pois meu deus, que tempos loucos vivemos! 

“ But here’s the thing about self-comparison: In addition to making you vacate your own experience, your own soul, your own life, in its extreme it breeds resignation. If we constantly feel that there is something more to be had — something that’s available to those with a certain advantage in life, but which remains out of reach for us — we come to feel helpless. And the most toxic byproduct of this helpless resignation is cynicism — that terrible habit of mind and orientation of spirit in which, out of hopelessness for our own situation, we grow embittered about how things are and about what’s possible in the world. Cynicism is a poverty of curiosity and imagination and ambition.”

Nunca olhamos tanto para o lado e nunca nos comparamos tanto como fazemos hoje em dia - sei que essa é uma frase generalista, mas sinto que nunca se fez tanto e nunca se angustiou tanto como fazemos agora.

Como a gente se cobra, né? Porque fulano está produzindo aqui, fulano está vendendo ali, fulano fez isso, fulano está viajando. De repente a gente acredita em tudo que vê e está se culpando por não estar onde queríamos, ou onde achamos que queríamos estar, acreditamos que não estamos fazendo o bastante, acreditamos que nosso trabalho não vale nada, afinal “todo mundo está fazendo”.

No meio disso tudo, esquecemos de quem a gente é, porque parece que estamos preocupados com o que são os outros, esquecemos do nosso processo porque estamos preocupados com a vida dos outros, esquecemos de olhar pra dentro e para o agora porque só olhamos pra fora, para o lado. Ai, chega! 

É muito legal usar as ferramentas que temos disponíveis pra conhecer gente, divulgar nosso trabalho, apoiar e acompanhar as pessoas que admiramos, mas ai, parece que às vezes isso foge um pouco do controle e quando vemos, passamos mais tempo olhando e achando a vida alheia linda e maravilhosa enquanto a nossa, nossos processos e nossas conquistas passam batido como se fossem nada. No fim, a gente passa o dia fazendo e resolvendo mil coisas que são sim, super importantes e não valorizamos nada disso. 

Gente, vamos olhar para o que temos, vamos valorizar nosso trabalho (não importa qual) e fazer ele com carinho. Porque no fim, é isso. Ele é nosso, é o que temos e é o que precisa nos fazer bem dia após dia. E em meio a tantas burocracias e correrias da vida, é ele que faz a gente se encontrar. :)